BLOG

Por que bebês chutam?

01 de Maio de 2015

A partir do quarto mês de gravidez os bebês parecem que têm um destino determinado... Serem jogadores de futebol ou lutadores de caratê. Toda grávida já sentiu isto e mesmo depois de nascerem, bebês continuam dando seus chutes por aí. Mas por que exatamente isto acontece?

Antes de acharem que têm um craque em casa, papais e mamães têm que saber que estes movimentos são involuntários e fazem parte do desenvolvimento normal do sistema nervoso das crianças. Os movimentos são atos reflexos, o mesmo movimento do teste do martelinho no joelho, uma resposta motora que não precisa ser processada pelo cérebro para acontecer.

Quando estão no útero das suas mães, durante os primeiros meses de gravidez, os fetos têm bastante espaço para se movimentarem sem incomodar a mãe. No quarto mês o ambiente uterino começa a ficar mais apertado e é aí que a grávida começa a sentir os chutes do seu filhote. A movimentação é tanta que muitas mulheres acabam sofrendo com “bicudas” em órgãos internos localizados na região do abdômen. Mais próximo do parto, o bebê relaxa no mexe-mexe, mas depois do nascimento volta tudo outra vez.

O novo ambiente estimula ainda mais a movimentação. Os braços estão sempre esticados para tentar segurar tudo que vêm e as perninhas agitadas são uma forma de aprendizado motor muito importante na coordenação e também no desenvolvimento do sistema nervoso que ainda não está completamente formado. Assim, mais pra frente não precisaremos pensar sobre como devemos andar, fazemos naturalmente.

Porém não é por muito tempo que acontece este amadurecimento. Em poucos meses, o córtex da região pré-frontal do cérebro do recém-nascido está desenvolvido e os movimentos involuntários diminuem de intensidade, dando lugar a um maior controle.

O negócio é que muitas vezes os pais acham graça desta época em que os pequenos estão involuntariamente se mexendo. Para garantir mais sorrisos, uma forma de conquistar confiança, os bebês continuam brincando de dar seus chutes por aí...




Confira também

  • Por que herdamos apenas o DNA mitocondrial materno?

    LEIA MAIS
  • Bebê nasce 'grávido' de dois embriões

    LEIA MAIS
  • Todos os homens já foram mulheres

    LEIA MAIS
  • Qual a diferença entre fecundação e fertilização?

    LEIA MAIS