BLOG

Compostagem: como transformar nosso lixo em adubo

28 de Julho de 2017

Talvez você nunca tenha parado para pensar, mas o que é considerado lixo para você, pode não ser tão lixo assim. Na verdade, o lixo pode ter diferentes finalidades e destinos, e assim ser bem útil. Certo?! Pode parecer complicado, mas é simples. Vamos lá! Além do processo de reciclagem, já bem conhecido por nós, o processo de compostagem vem sendo cada vez mais difundido – em grande e pequena escala –, para aproveitar os resíduos orgânicos (aquele “lixo de cozinha”) que nós produzimos. Compostagem é o nome dado ao processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica de restos de origem animal ou vegetal através de microrganismos variados, com a finalidade de produzir um composto orgânico que pode ser aplicado no solo para melhorar suas características, sem oferecer riscos ao meio ambiente.

A utilização de usinas de compostagem no Brasil é um processo bastante recente. As primeiras usinas foram instaladas na década de 70 e infelizmente, inúmeros ainda são os problemas encontrados no processo e na qualidade dos compostos. O primeiro passo para entender esse processo realizado nas usinas, é ter em mente o que são os “resíduos orgânicos” que poderão ser utilizados como matéria-prima na compostagem. Tratando-se dos resíduos, quanto mais variedade tiver no substrato, melhor, já que uma maior variedade de materiais irá proporcionar uma maior variedade de microrganismos decompondo e atuando no solo. Lixo orgânico doméstico (cascas e excesso de frutas e vegetais, borra de café, folhas e talos de vegetais), rocha moída, arbustos e restos de poda, penas, resíduos de couro, algas marinhas, ervas daninhas e diversos tipos de resíduos orgânicos agrícolas e de agroindústrias, entre outros materiais podem ser utilizados como matéria-prima. Uma grande variedade, não acham?

Créditos: Marina Lohrbach | Shutterstock

A primeira etapa, após a chegada nas usinas, é a separação dos resíduos em categorias – orgânico, metais, vidro, papéis, alumínio, madeira, etc. Depois de ser separado, o material é aquecido e revirado em temperaturas bem altas para ficar livre de patógenos. Após um período de cerca de 120 dias, o composto está pronto e pode ser peneirado para ser utilizado. Os produtos finais da compostagem podem ser utilizados principalmente como adubos de jardins e hortas. Como trata-se de um adubo orgânico, ele devolve para a terra os nutrientes que ela precisa, aumenta a sua capacidade de reter a água e permite o controle da erosão, evitando a utilização de fertilizantes industriais.

Cerca da metade dos resíduos orgânicos que nós, brasileiros, produzimos, têm um destino inadequado e podem trazer prejuízos ao solo, ar e água. O processo de compostagem que é de baixo custo e relativamente simples, pode amenizar a situação dos lixões (que ainda são utilizados) e diminuir a carga enviada aos aterros sanitários. No Brasil, 60% do nosso lixo é composto de matéria orgânica passível de compostagem.

É importante ressaltar que para ter um produto final de qualidade, os resíduos devem ser separados de acordo com as suas categorias. Infelizmente no Brasil, a separação do lixo e a coleta seletiva ainda é pouco difundida e executada por conta da falta de conhecimento da população e das dificuldades econômicas e de logística. E aí... Você está fazendo a sua parte separando o seu lixo?

Fonte: Ministério do Meio Ambiente, Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental


 

Fique ligado! Questões sobre este assunto podem aparecer no ENEM e demais vestibulares. Veja abaixo uma questão que caiu na prova do último ano:

Chamamos de lixo a grande diversidade de resíduos sólidos de diferentes procedências, como os gerados em residências. O aumento na produção de resíduos sólidos leva à necessidade de se pensar em maneiras adequadas de tratamento. No Brasil, 76% do lixo é disposto em lixões e somente 24% tem como destino um tratamento adequado, considerando os aterros sanitários, as usinas de compostagem ou a incineração.

FADINI, P.S.; FADINI, A. A. A. Lixo: desafios e compromissos.

Química Nova na Escola, maio 2001 (adaptado).

Comparando os tratamentos descritos, as usinas de compostagem apresentam como vantagem serem o destino

a) que gera um produto passível de utilização na agricultura.   

b) onde ocorre a eliminação da matéria orgânica presente no lixo.   

c) mais barato, pois não implica custos de tratamento nem controle.   

d) que possibilita o acesso de catadores, pela disposição do lixo a céu aberto.   

e) em que se podem utilizar áreas contaminadas com resíduos de atividades de mineração.   

 

 

Resposta: alternativa a. A compostagem, muito utilizada na agricultura, é o processo de transformação da matéria orgânica, encontrada no lixo, em adubo orgânico. É considerada um tipo de reciclagem do lixo orgânico, em que os microrganismos são responsáveis pela degradação natural. 




Confira também

  • Comprovado que pernilongo pode transmitir zika vírus

    LEIA MAIS
  • Febre de Oropouche: o vírus que pode afetar a saúde pública no Brasil

    LEIA MAIS
  • Você sabe as diferenças entre diabetes mellitus e insipidus?

    LEIA MAIS
  • A Revolução Verde e a Agricultura Sustentável

    LEIA MAIS